quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Depressão pós-parto...

Como pode ser???
COMIGO NÃOOOOOOOOOOOOO
Eu quis tanto a minha filha e agora uma enorme tristeza toma conta de mim, uma insegurança, e quando li essa materia sobre depressão pós-parto, acreditem eu chorei... Chorei por ler que alguns ou maioria dos sintomas eu estou sentindo. Nossa Gente que sentimento ruim, decidi comentar aqui no blog pq ainda não comentei com ninguém e quando choro sempre choro sozinha com a Luiza nos braços, eu não sei mas o que fazer ... Desespero essa é a palavra... Tenho tanta fé em Deus, espero que esse sentimento que pensei que fosse passar nos primeiros dias passe logo...
Vou explicar melhor pra vcs pq esse sentimento se aflorou em mim...

No dia em que senti a dor para ter a Luiza (03.02) eu vi que meus planos tinham dado errado e a insegurança se minha filha ia nascer bem tomou conta de mim. O meu pensamento era que ela ia nascer com dificuldades para respirar ou ate mesmo morrer... As coisas começaram a dar errado (é claro na minha cabeça), a medica que me acompanhou não ia poder realizar o parto e nesse momento me vi sem chão. O QUE EU IA FAZER, perguntava pra Deus... Eram mais ou menos 9 horas da tarde do dia 03.02, eis que entra depois de um dia inteiro de dor o G.O Plantonista da Unimed dizendo que iria me dar um remédio e se as dores não passassem eu realmente estaria em trabalho de parto, eu me olhei assim não acreditando que a Luiza ia nascer de 8 meses e perguntava "SENHOR O QUE EU FIZ DE ERRADO PARA MINHA FILHA NASCER PREMATURA??"... Pois bem o remédio que o medico passou não fez efeito e as dores na verdade tornaran-se mais intensas e a cada vez que eu ia ao banheiro via aquela agua descer e a minha filha já não estava mexendo, aquela angustia tomou conta de mim... e quando eram 12:00 novamente o medico apareceu, me chamou em uma sala particular e disse:" Vc está em trabalho de parto pq se esse remédio não fez efeito nenhum outro vai dar, deite ali que nos vamos fazer o toque..." . Bom gente logo após ele fazer o toque ele disse: "vc está com 1 cm de dilatação e já esta quase sem liquido, ligue para sua medica e diga que vc terá que ter seu bb de parto cesaria". Eu chorando disse ao medico: "Dr, pelo amor de Deus me encaminhe para qualquer lugar pq minha medica não ira realizar o meu parto". Na hora, mas no mesmo minuto ele disse: "vc aceita qualquer hospital", eu disse: "Dr. me mande ate para a santa casa de misericordia pelo amor de Deus". Ele ligou para o Hopital Beneficiente Portuguesa e disseram que la tinha apenas um leito e ele imediatamente pediu que guardassem, e disse com essas palavras: Vcs têm condução própria?? se tiverem não esperem a ambulância corram pq senão o bb vai morrer, já esta sem liquido... Nesse momento meu desespero piorou e nos corremos para o tal hospital chegando la já tinha uma cadeira de rodas me esperando, o hospital e um hospital muito antigo e muito bom e ele continua do mesmo jeito de quando fundaram, com aquele piso de madeira colorida piso encerado, muito bonito umas escadas antigas estrutura muito bonita sabe.. Ele me levou direto para o centro obstetrico, chegando perto do centro me deparei com varias encubadoras no corredor, nesse momento eu senti que nada daria certo e que a minha filha iria precisar ficar em uma delas... Nossa isso tudo foi muito dolorido pra mim, me prepararam com aquela roupa e derrepente eu olho para o lado e vejo o medico que me atendeu na unimed ali pronto para me operar, me senti feliz por ele ver o meu desespero... ele disse bom Deyse vamos esperar apenas o anestesista chegar, logo que o anestesista chegou eu perguntei Dr eu marido pode entrar para bater fotos e ele disse não podemos perder tempo, infelizmente não... e eu choreii, choreiii e o anestesista me acalmando começou a conversar comigo dizendo que tudo daria certo e disse que ia fotografar... logo que começou e ele abriu a minha barriga ele disse ao estagiário, vc está vendo esse bebê ia morrer, já estava quase sem liquido... eu não conseguia mais chorar e simplesmente não chorei quando ouvi o choro da Luiza, era 1:30 do dia 04.02 parece que aquilo não estava acontecendo comigo, o sentimento que eu senti não foi assim de felicidade plena e sim que eu tinha feito alguma coisa errada e ela nasceu antes do tempo...Quando me levaram para o quarto eu não pude ter o contato direto com a Luiza pq por ela ser prematura teve que ficar um tempo no berçário para esquentar, pois ela gemia muito mais ou 3:30 da madrugada trouxeram ela pra mim e tentaram colocar ela no peito porem ela não conseguia mamar.. e então de 3 em 3 h as enfermeiras vinham dar o leitinho dela e eu via eles com uma seringuinha dando o leite que era pra mim dar pra ela.. (já comecei a chorar), no dia 5 que foi o dia em que eu tive alta o medico chegou no meu leito e disse olha foi um milagre, quase nos perdemos ela, se demorássemos mais 5 minutos ela não ia resistir... e eu so pude falar uma coisa OBRIGADA DR, MUITO OBRIGADA...
Quando cheguei em ksa no dia 5, fiquei tranqüila, olhava pra Luiza quase não entendendo o que tinha acontecido, olhava o quartinho todo desarrumado, faltava tanta coisa gente...E no dia 6 eu estava deitada quando derrepente olhei ela dormindo no berço e veio aquele sentimento horrível de culpa e eu comecei a chorar, meu marido estava no patio de ksa e eu fui ate la com ele, ele estava desarrumando a arvore de natal e eu disse a ele eu não consigo, e ele imediatamente correu no quarto da Luiza pra saber o que tinha acontecido e depois que ele viu que não era nada com ela ele veio ate mim me abraçou e disse o que foi amor? o que aconteceu? e eu so dizia que eu não sabia... fiquei varios e varios dias pensando em tudo que eu tinha passado pra a Luiza nascer... APÓS ALGUNS DIAS... os meus seios começaram a ferir e começou a me dar muita febre, muita dor de cabeça, muitas dores e a Luiza precisava tomar o leitinho de 2h e meia em 2h e meia, pois a glicose dela não poderia baixar, Luiza chorava a noite de 1 em 1 hora, além dela ser muito aperreada... Eu grudava meus olhos nela a noite inteira, deitava de óculos e o meu marido desesperado vendo minha agonia passava a noite inteira acordado junto comigo... EU ME SENTIA CULPADA DE TUDO, GENTE DE TUDO MESMO. Durante o primeiro mês ela não suou ou seja tinha que ficar o tempo inteiro toda embrulhadinha, pq senão ela tremia de frio... As coisas começaram a melhorar quando ela começou a engordar e suar... Porém a Luiza é uma criança muito agoniada, e isso me agonia, pq pra mim eu não cuido bem dela e por isso ela é assim... Ante ontem ela tomou um susto e eu me assustei junto com ela e acredite eu comecei a chorar... GENTE EU PRECISO DE AJUDA, eu estou sendo super forte fico o tempo todo com a Luiza pra ver se isso acaba, mesmo sentindo dor eu dou de mamar pra ela, pra ver se meu vinculo com ela cresce mais, minhas idéias estão confusas... eu preciso de ajuda...

A depressão pós-parto é comum?

Acredita-se que cerca de 10 por cento das mulheres sofra de depressão pós-parto, embora uma recente pesquisa da Royal College of Midwives, do Reino Unido, tenha indicado que o número possa ser bem maior. De acordo com o estudo, 27 por cento das mulheres com filhos de menos de 1 ano de idade disseram ter passado por algum tipo de tratamento para a depressão pós-parto. Depressão pós-parto não é a mesma coisa que uma espécie de melancolia, também conhecida como "baby blues", ou "blues puerperal", que geralmente tem início poucos dias depois do parto e provoca tristeza, preocupação, nervosismo e vontade de chorar. É possível que as enormes mudanças hormonais da gestação sejam responsáveis por esses sintomas, que tendem a desaparecer em questão de dias.

Mas, então, o que é a depressão pós-parto?

A depressão pós-parto é bem mais séria do que uma melancolia passageira. Enquanto a maior parte das mães consegue superar aquela tristeza inicial e passa a curtir seus bebês, uma mulher com depressão pós-parto fica cada vez mais ansiosa e tomada por sentimentos desagradáveis. Em alguns casos, a mãe já estava deprimida mesmo antes do nascimento da criança, e simplesmente continua a ter os mesmos sentimentos. Para outras mulheres, no entanto, a depressão começa semanas ou até meses após o parto. O que parecia ser um prazer aos poucos começa a parecer um fardo, e a vida de certas mulheres chega a ficar paralisada.

Sintomas

Veja a seguir uma lista dos sintomas mais comuns da depressão pós-parto. Ter alguns deles vez ou outra não necessariamente indica um quadro de depressão, já que a maternidade é mesmo cheia de altos e baixos! Caso você tenha com frequência vários dos sintomas descritos, comente com seu ginecologista ou clínico geral ou procure a ajuda de um profissional especializado. Não tenha medo de ser julgada e muito menos de ser taxada de má mãe. • Tristeza constante, especialmente na parte da manhã e/ou à noite • Sensação de que não vale a pena viver e de que nada de bom vem pela frente • Sensação de culpa e de responsabilidade por tudo • Irritabilidade e falta de paciência com parceiro e filhos • Choro constante • Exaustão permanente, acompanhada de insônia • Incapacidade de se divertir • Perda do bom humor • Sensação de não conseguir lidar com as circunstâncias da vida • Enorme ansiedade em relação ao bebê e busca constante por garantias, por parte de profissionais de saúde, de que ele está bem • Preocupação com sua própria saúde, possivelmente acompanhada pelo temor de ter alguma doença grave • Falta de concentração • Sensação de que o bebê é um estranho e não seu próprio filho Além dos sintomas mencionados acima, é possível também vivenciar: • Perda de libido • Falta de energia • Problemas de memória • Dificuldade para tomar decisões • Falta ou excesso de apetite • Noites de sono interrompido

Existem mulheres mais propensas a ter depressão pós-parto?

Os especialistas ainda não sabem exatamente por que certas mulheres ficam deprimidas e outras não. Porém há certas situações que parecem aumentar o risco de uma depressão pós-parto. São elas: • Já ter passado por uma depressão antes • Depressão durante a gravidez • Parto difícil • Perda da própria mãe na infância • Parceiro ou família ausentes • Nascimento de um bebê prematuro ou com problemas de saúde • Problemas financeiros, de moradia, desemprego ou perda de um ente querido

Qual é o tratamento?

Remédios Existem certos remédios que realmente podem ajudar num quadro de depressão pós-parto. Muitas pessoas acreditam erroneamente que antidepressivos provoquem dependência, o que não é verdade. O principal problema de tais remédios é que muita gente não os toma da maneira correta. Esse tipo de tratamento exige disciplina com horários e costuma levar algumas semanas para fazer efeito. Não desista por achar que ele não está melhorando em nada sua situação. Lembre-se de que demora um pouco para que seu corpo se adapte à medicação, e tenha em mente que às vezes a dose ou o tipo do remédio precisam de ajustes conforme a reação do organismo. Não interrompa o tratamento sem conversar com seu médico antes, mesmo se achar que já está melhor, porque a depressão pode voltar de repente. Também não se preocupe se estiver amamentando, já que há no mercado remédios compatíveis com o aleitamento materno. Terapia Conversar com alguém treinado para lidar com o que você está sentindo pode ser de grande ajuda. Muitas vezes somente a terapia já é suficiente para reverter o quadro, embora, muitas vezes, haja também a necessidade de associar ao tratamento algum tipo de medicação (que só pode ser prescrita por médicos). Não se intimide em procurar ajuda especializada e encare isso como um ato de amor pelo seu bebê, para que você possa ser de fato a mãe que sempre sonhou ser.

Há algo que parentes e amigos possam fazer?

Conviver com alguém deprimido pode ser assustador, por isso é importante que a família tenha a orientação de um profissional de saúde para que ele explique melhor o quadro e aconselhe sobre a melhor forma de agir. Uma vez que todos saibam que se trata de depressão pós-parto -- um problema real, e não "frescura", mas que tem tratamento --, a família toda tende a se sentir melhor. O importante é lembrar que a depressão é um estado passageiro. Se sua mulher/mãe/irmã/amiga está deprimida, veja abaixo algumas maneiras que podem ajudá-la a enfrentar esta fase: • Certifique-se de que ela está tomando o remédio como o médico orientou e de que esteja indo às consultas médicas (ou à terapia) • Caso ela não queira tomar remédios, procure tentar convencê-la a falar com um médico sobre outras alternativas • Acompanhe-a ao médico caso ela esteja relutante em ir por conta própria • Não dê conselhos do tipo "deixa disso" ou "vê se melhora o astral". Ela certamente se comportaria de maneira diferente se conseguisse, se dependesse da vontade dela! • Auxilie, se puder, com as tarefas domésticas ou mesmo com o bebê, mas, por outro lado, não assuma tudo o que diz respeito à criança • Faça companhia caso ela tenha medo de ficar sozinha • Lembre-a o tempo todo de que tudo melhorará e que a tristeza vai passar • Se se trata de sua companheira, procure tratá-la como mulher, e não somente como a mãe do seu filho

O que posso fazer por mim mesma?

Tente manter uma alimentação saudável. Caso não tenha apetite, procure fazer pequenas refeições regularmente -- o café da manhã é especialmente importante. Consuma alimentos ricos em energia, como pães, cereais, macarrão e arroz, além de muitas frutas e verduras. Não há nada de errado em comer chocolate, se este for o seu desejo, mas só não exagere na dose. Descanse bastante. Durma, se conseguir, ou simplesmente relaxe. Se alguém puder cuidar do bebê para você, aproveite para tirar uma soneca durante o dia ou escolha uma boa leitura e curta alguns momentos de preguiça. Não seja dura consigo mesma. Você está doente e precisa de tempo e espaço para se recuperar. Não se sobrecarregue de tarefas domésticas que não sejam urgentes e adie as "grandes" decisões por enquanto. Permita-se alguns mimos e, aos poucos, você sentirá a diferença.

Será que vou ter depressão pós-parto com meu próximo filho?

É possível, já que histórico de depressão é um dos fatores que podem influenciar na incidência de uma depressão pós-parto. Existem inúmeras mulheres, no entanto, que tiveram depressão com um filho e depois não voltaram a ter problemas. Pense que, se a depressão voltar a atingi-la, pelo menos você já terá aprendido a lidar melhor com ela e saberá como usar a ajuda de familiares, amigos e médicos. Além disso, você não será pega tão de surpresa e poderá procurar ajuda mais cedo. Vale a pena conversar sobre o assunto com o obstetra ainda durante a gravidez.

Há como prevenir a depressão pós-parto?

Não se sabe ao certo. O que se sabe é que uma mulher que conte com bastante apoio durante a gravidez tem mais chances de encarar a maternidade com confiança e segurança. Assim sendo, quando engravidar de novo, faça o máximo para durante os nove meses se cuidar bem, aceitar toda a ajuda do mundo, fazer alguma atividade física e reduzir os níveis de estresse. Há médicos que defendem o uso de injeções de progesterona depois do parto como forma de reduzir o risco de depressão. As provas científicas quanto a isso não chegam a ser sólidas, mas converse com o seu ginecologista para saber se é algo que vale a pena considerar no seu caso.

15 comentários:

  1. Oi linda, acabei de ler seu post, tenho um blog tb, mas ultimamente ando meio sem tempo, por conta do trabalho, mas sempre leio seus posts...Bom linda sou terapeuta ocupacional, e trabalho com crianças especiais, no atendimento delas e das mães...Posso te dizer que Deus te abençoou mto por trazer sua filha perfeita e com saude, mesmo prematurinha...O sentimento que as mães colocam pra mim, são bem estes mesmos, de insegurança, medos, tristezas, principalmente porque muitas vezes nossa cabeça idealiza uma serie de coisas e quando elas nao acontecem da forma que imaginamos, de alguma forma nosso corpo responde, as vezes no momento, as vezes mais tarde...Vc sofreu uma carga emocional muito grande, em muito pouco tempo, e ainda não teve tempo de digerir toda essa situação...Agora, que seu corpo esta descarregando toda esta carga emocional, e pode ser de forma direta ou indireta...Neste momento, o mais importante em primeiro lugar é se achegar muito a Deus, e pedir para que ele te de paz e a ajude a estabelecer um vinculo mais rapido com a sua bebe...Depois, tente direcionar um tempo do seu dia a um cuidado com vc mesma....Faça um relaxamento,tome um banho bemmm relaxante, faça uma caminhadinha em um lugar bem tranquilo com seu esposo...Outra coisa...Pense que sua bebe saiu um pouquinho mais cedo da casinha, por isso, nada mais normal que ela leve um tempinho maior para se adaptar do lado de fora, não acha???Vc esta sendo uma mãe maravilhosa, e digo isso como profissional e pessoa...Espero que tenha com meu bebe a mesma dedicação que vc esta tendo com sua bebe!!! Vc ja ouviu falar em shantala??? A Shantala ajuda muito no relaxamento do bebe...o toque auxilia na melhora do vinculo...Aproveite o momento do banho, cante para ela, acaricie vagarosamente cada partinha do corpo...E o principal: Peça sempre a presença e a proteção do nosso Deus altissimo em td que for fazer!!! Tenho fe no meu coração que vc saira destes sintomas em breve!!! Qq coisa me escreva lindaaaa...Deus te abençõe sempre mamae maravilhosaaa!!!! Bjs

    ResponderExcluir
  2. oooi linda, fica assim não! Vc e a Luiza são vencedoras! Agradeça a Deus a cada segundo pela vida de vcs! é assim mesmo, não se sinta "menos" por ter tido a lindona aí prematuramente, acontece!
    Aqui nesse blog

    http://marinjones.blogspot.com/2011/02/como-parar-o-choro-de-bebes.html

    achei vídeos muito interessantes de como acalmar o bebê! Experimenta!

    Bjão e conta comigo! :)

    ResponderExcluir
  3. Oi Flor... não se culpe tanto, depois do susto que levou é natural que vc.sinta insegurança e medo, foi muito estressante. Mas com certeza vc.e sua pequena são duas guerreiras que venceram essa etapa de dificuldade e vencerão juntas qualquer uma que vier, pq o laço de amor e companheirismo que as une é divino.
    Mantenha sua fé, logo, logo esses sentimentos ruins desapareceram.
    Dê tempo ao tempo...
    Fika bem.
    Bjus!!!

    ResponderExcluir
  4. Deyse,
    Fiquei com o coração apertadinho ao ler seu post :(
    A primeira coisa que tenho para te dizer: procure ajuda com um especialista. Ás vezes, a gente está sem forças para enfrentar a situação e ignorá-la ou "empurrar" com a barriga, só piora e aumenta sua angústia.
    Só você sabe o que está passando, portanto ouvir que é uma fase, que vai passar, é um risco á você e a sua saúde mental.
    Você precisa estar bem para poder cuidar e dar amor á sua filha. Mas como dar atenção, quando a gente mesmo precisa de atenção?
    O que você está sentindo é normal e acontece muito (como você mesma já pesquisou e constatou isso), mas não podemos sentar e esperar passar.
    O susto que você passou foi grande e a chegada de um bebê muda nossa vida de pernas pro ar. Sem falar que não é fácil cuidar de um bebê, temos que ter dedicação, ficar atenta á horários, dar carinho, cuidar da casa, do marido, dormimos mal e ainda temos que estar cheiorosinha no final do dia! Afff...
    A boa notícia Deyse, é que tem jeito sim, com fé em Deus, ajuda profissional e muita paciência :)
    Nós sempre queremos ser mães perfeitas, verdadeiras mulheres maravilha e somos cobradas por isso.
    Converse com um médico, com uma pessoa que já passou pelo que você está passando, isso ajuda muito. Desabafe...
    Eu não tive depressão pós parto, mas como sou muito ansiosa e perfeccionista, queria tudo perfeito quando meu filhote nasceu, só que a gente não tem mais o controle da situação quando tem um bebê em casa. Eu ficava muito frustrada quando uma coisa, pequena, uma bobagem, saía fora do controle.
    Depois aprendi que nada na vida precisava ser assim, tão controlado, tão perfeito...daí relaxei e foi muito bom. Deu tempo de olhar para as pequenas coisas que a gente não percebe na correria e eu fui muito mais feliz, assim como meu filho foi um bebê mais feliz :)
    Deyse, gosto muito de você, apesar de não te conhecer pessoalmente e acompanhei sua gestação pelo blog, por isso me preocupo com você e torço para que esses sentimentos vão embora logo.
    Procure ajuda que tudo dará certo, você não está sozinha, nem precisa se sentir assim.
    E não se sinta mal por pensar essas coisas, pois todos sabem que são pensamentos involuntários, e assim como sua bebê precisa de atenção, você também precisa de carinho :)
    Tenha fé que tudo vai dar certo, viu?!
    Bjs e se precisar estou aqui

    ResponderExcluir
  5. Ai amiga me senti impotente agora por não consegui ter palavras de ajuda nesse momento , sempre acompanhi sua gravidez e sei o quanto vc queria e se preocupava com LUiza , essa fase passará , pense o seguinte vocês estão se adptando a nova vida e por favor amiga procure ajuda , isso é essencial .
    beijoss

    ResponderExcluir
  6. Linda acho q vc precisa de ajuda de um especialista sim, corre atras pra vc poder curtir essa fase gtostosa da sua bb. Essa fase pasa rapido demais.
    assim como vc se abriu com a gente tente se abrir com um especialista. O primeiro passo vc ja deu, já conseguiu falar sobre seu problema agora é lutar contra ele e ser feliz.
    Graças a Deus eu não criei expectatvas em relação ao parto e nem em relação aos cuidados com o bb. O q eu faço é ler bastante mas sem me cobrar muito. Espero não ter esse problema, mas se eu tiver corro atras de um especialista tbm.
    Fique bem.

    ResponderExcluir
  7. Linda, vc passou por muita coisa mesmo...tenha fé, continue tomando estes cuidados q vc escreveu e entregue nas maos de Deus que logo tudo estará bem melhor. Estou torcendo! E Luiza tá linda mesmo!!
    bjao

    ResponderExcluir
  8. Amiga, linda. Acho que nenhuma mamãe se prepara para ter seu bebê antes do tempo... se Deus dá uma gestação de 9 meses ao ser humano, é pq nós precisamos de todo esse tempo para nos preparar.. mas às vezes, acontece o que aconteceu com vc e por algum motivo, esse tempo é adiantado. Não há nada errado com vc... vc se sente assim pq não estava preparada para essa situação, como a maioria de nós não está. Entretanto, vc precisa ver o outro lado das coisas. Sua filha nasceu. Glória a Deus por isso!! Ela é saudável e mesmo passando por alguma dificuldade no nascimento, a Luizoca está bem. É natural que ela seja uma criança "agoniada" como vc diz... afinal, ela tb teve seu tempo de preparação interrompido. Mas isso não quer dizer que vc não cuide bem dela, ou que vc não faça as coisas certas. Apenas um bebê prematuro, apesar de se desenvolver normalmente, precisa de uma atenção especial... é diferente de um bebê que nasce de uma gestação completa. Amiga, não se martirize mais... vc é uma ótima mãe. Deus tem dado a vc sabedoria e muito amor para dar a essa pequena, e a prova disso é que vc já sabe qual o seu problema. A depressão pós-parto é algo comum de acontecer, mas precisa ser tratado, linda. Converse com seu esposo, com sua mãe... com alguém de confiança. Vc precisa de apoio e isso não tem nada de vergonhoso. Busque essa ajuda nas pessoas que vc ama e que te amam tb. E lembre-se que Deus está com vc. E não há nada impossível para Ele e nenhum problema tão grande que não se possa resolver. Confie Nele, respire fundo, comece a buscar entender a Sua vontade dentro desse nascimento prematuro. Alguma razão há. E tb, procure saber mais sobre os bebês prematuros. Assim, vc vai conseguir lidar melhor com as situações que a Luiza vive e tb se sentirá mais segura.
    Bom, de qq forma, vamos ficar orando por vc e te acompanhando. Se precisar de alguma coisa, fale com a gente. Estamos aqui para ajudar. Somos uma família nessa blogsfera. Aqui, vc sempre será amada. Bjsss

    ResponderExcluir
  9. DEYSE, ACHO QUE TODAS AS AMIGAS QUE POSTARAM ANTES, TEM A MESMA OPNIAO QUE EU, VC JA TEM O MAIS IMPORTANTE, FE EM DEUS E AMOR PELA SUA FILHA, ENTAO MEU BEM VA ATRAS DE AJUDA PROFISSIONAL... VAI SER MELHOR PARA VC E A LUIZOCA CARA DE PIPOCA...

    ResponderExcluir
  10. Deyse é a primeira vez que venho aqui e resolvi comentar por causa do tema. Eu tb passei maus bocados quando o Gustavo (meu neném) era pequeno. Agora sei que não era depressão pós-parto e sim um baby-blues forte. Na depressão a mãe tem pensamentos de morte (suicídio) no baby-blues não, é um misto de sentimento de culpa, incompetência, desespero, desconsolo, abandono, ou seja,muito ruim. Eu tive muita ajuda da família, fiquei na casa da minha mãe (sozinha acho muito difícil superar). Minha família ajudou principalmente cuidando do Gu para que eu me recuperasse. Saiba que é comum,mas algumas mulheres sentem-se pior que as outras. SE puder traga alguém pra te ajudar ou vá pra casa de alguém (mãe se possível) Vc precisa de ajuda. Ah! E marque uma consulta (urgente) com o seu GO. FAle com ele sobre isso. Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Amiga, você certamente não fez nada de errado, vc como evangélica, conhece nosso Deus e sabe q Ele faz coisas q não conseguimos entender as vzes, mas tudo tem sua razão e tudo acontece no seu tempo...nenhuma de nós espera o bb antes da hora, mas apesar de tdo vc tem q pensar q graças a Deus foi 8 meses e não de 6, 7, seria mt mais complicado, não foi teu médico, foi outro mas msm assim deu td certo, kem sabe oq poderia ter acontecido se fosse outro medico...Ela sobreviveu, linda linda, vc tem uma filha saudável, tds os orgãos funcionando com a graça de Deus, qts crianças não tem a mesma sorte...Qto a perder o liquido, isso é mais que comum, tenho uma amiga q tbm foi assim e a filha dela é a coisa mais linda do mundo, super saudavel...E os seios? tbm fikei assim logo no terceiro dia, e graças a Deus lembrei q tinha lido um post seu mesmo falando sobre conchas de amamentação q eu nao conhecia e nem sabia pra q serviam direito, mas mandei meu marido comprar e foram a minha salvação, se hj amamento minha filha sem dor foi pq vc me ajudou de forma indireta e agradeço mtoooo!
    Tenta ver o lado bom amiga, não se entrega a essa tristeza, vc tem uma linda benção aí, vivinha da silva, com saúde, com seu leitinho tenho ctza q ela crescerá forte =] Imagina kem não teve a msm sorte??? Só olhar pelos blogs quem tem leite pingando e não tem mais o bb pra amamentar...Infelizmente é a realidade, por pior q seja, então levante suas mãos para o céu, pq dps da batalha vc foi abençoada...As vzes o Senhor nos permite passar bem pertoou até por dentro do mar, mas Ele nos abre o caminho para chegar ao outro lado sãos e salvos...E não deixa de procurar ajuda, toda a ajuda é aceitavel, se for necessário tomar algum remédio, tome, mas o mais importante e vc estar bem para sua liiiinda Luiza!Conta sempre cmg! bjusss

    ResponderExcluir
  12. Oi colega, vi o link do teu blog em um blog de uma colega...Fikei tocada com teu post...Tenho medo de ter depressao pos parto por ja ter dito depressao e sindrome do panico...mais qdo me pego pensando nisso penso que serei mais forte pela minha princesinha!
    Sei que é dificil passar por isso, que não adianta agente falar pra vc ser forte...VC TEM QUE QUERER SER FORTE! A depressao só e curada qdo keremos kura-la...Se vc ker ser curada resista...serio parece que é facil ne falando...é realmente é...eu so me curei da minha depressao qdo eu aceitei ser curada...qdo eu parei de tomar meus remedios(que eram fortissimos e nao estavam mais fazendo efeito)e decidi que dali pra frente eu seria maior do que a tristeza...
    E pra vc com sua bebe será mais facil...se apegue a ela, qdo se sentir triste olhe pra sua princesa e veja a bençao que deus lhe deu!
    Seja forte sei q vc saira dessa!
    BJUS...

    ResponderExcluir
  13. flor, vi q ja faz um tempinho q vc fez esse post, vc ja ta melhor? olha ficar assim saiba q é super normal, mas saiba q a Luiza so veio para trazer alegria, e ñ vale a pena q ficar assim né, por ela certo?? se cuida querida, e desejo q esteja bem melhor! bjssss

    ResponderExcluir
  14. ola, amiga eu tbem tive meu filho prematuro e sei bem o que esta passando no começo ao trazer ele para casa eu chorava dia e noite.....por ser prematuroe menino teve uma série de problemas depois...eu chorei tantas vezes que as vezes nem tinha mais lagrimas.....hj meu filho tem 18 anos olhando para traz eu penso que não precisava ter sofrido tanto meu filho é saudável, amigo proximo um amor..........tudo passou...........fica calma tudo fica bem no final e nao é culpa sua de ter nascido prematuro.....bjs querida fica com Deus
    meu e-mail liaen27@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi.Adorei seu blog e seu relato do parto.Estou torcendo p vc se recuperar,pq foi muito traumatizante p vc né!To te seguindo.Tenho um blog tb,passa lá.
    http://danitanoue.blogspot.com/

    ResponderExcluir